Galega sarará

Estrangeiro é o meu coração
não é a cidade ou o sotaque
ou essa mania dos outros de morarem nessas casinhas tão apertadas
a diferença é que quando eu volto
posso contar com todas as outras coisas:
o nascer do sol sou eu
o mar sou eu
o vento sou eu
quem balança o coqueiro sou eu
sou eu quem sussurra de madrugada: 

Quanto mais longe eu vou, menos me encontro. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s