All my rights are everyone’s enemy*

Ontem eu estava super mal-humorada e acabei cuspindo um texto agressivo e vulgar. Faz parte. Eu estava cansada, com torcicolo e ansiosa para resolver o futuro das minhas noites de sono. Mas a novela “barulho” teve uma trégua, o volume da TV do apartamento ao lado, ontem, estava super baixo e eu dormi como uma princesa.

Tive a impressão, quando entrei no prédio e cruzei com a moradora mais antiga, que eu tinha me transformado na vilã da história. Pudera, “psicopatei” de toda forma, liguei para o síndico, mandei email para a administradora, bati na parede, falei alto…uma baixaria.

A tal vizinha é médica, isso ajudou para a formação da opinião de todos na história. Ela virou Dra Carla e eu logo me senti a pessoa que é só uma nordestina com fama de brava, redatora de 30 anos, sem filhos, viciada em roupa, rock e melancolia que ainda por cima escreve bobagens em um blog. Ou seja, não cuido de pessoas doentes, minha profissão não é lá muito nobre e essa mania de moda pode ser visto como excesso de futilidade.

Mas não era sobre isso que eu queria falar, o que está em questão é que quem dá a cara a tapa, ou seja, quem vai lá e mostra que existe algo errado acaba virando o erro em pessoa. Alguém me explica isso? Se a maioria está em acordo, mesmo que esteja alinhado no erro, o que é certo passa a ser errado. No caso da minha vizinha, o que a eximiu foi sua atividade laboral. O erro dela foi abafado por sua profissão. Mas e no ambiente profissional? E na vida? E na arte? Já vi muita coisa feia começar a ser bonita porque um ou outro líder de opinião deixou passar uma crítica verdadeira.

Outro dia vi esse sapato – da PRADA- aí da foto, cotado para ser sucesso do verão. Sucesso é exagero, não é? Eu não acho. É possível que eu possua um nos próximos meses. Pelo menos uma versão desse daí.

Se a maioria grita, uma só voz não vai ser ouvida. Mas e aí? A gente aceita? A gente foge? E quem não quer fugir?

Haja equilíbrio pra remar a jangada nesse mar de hipocrisia.

* frase tirada de uma música de John Frusciante

Anúncios

2 opiniões sobre “All my rights are everyone’s enemy*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s