Não precisa fazer sentido

Todo dia morre-se um pouquinho.

E não é só porque o sol se põe, é porque a lua também se vai.

Morre-se toda hora, quando a gente volta para casa.

Quando a gente fica um tempo sem ver um amigo; morre-se.

Quando a gente perde um pouco de grana, quando a gente engorda, quando a gente adoece.

Morremos o tempo todo quando bebemos, só de trocar uma roupa.

Morremos quando alguém querido parte de verdade dessa vida.

Somos pessoas diferentes em cada um desses momentos.

Como se despedir de um sonho bom, de um sonho qualquer.

Como acordar.

Quem disse que morrer é ruim?

Não deve ser.

Querido, hoje o dia estava tão bonito. Você teria gostado de ver.

Saiba que brigaram bem ali, onde tinha o sinal da sua saída estratégica.

Os porteiros andam comentando, aquela banca ainda vai dar muito o que falar.

A vida é boa, queria que você tivesse visto o que vimos, sentido o que sentimos enquanto tudo transcorria normalmente.

Por sua causa.

Mas a vida não vai parar por sua causa.

Ah, meu bem, quisera você tivesse entendido que não precisa fazer sentido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s