Never liked to play it safe

É em um dia de verão como hoje que eu sinto ainda mais essa coisa sem nome que me acompanha desde que nasci. Eu achava que era outra coisa, até que eu fui embora e achei que fosse saudade de você, do mar, da cama que herdei, da janela do banheiro que eu nunca consegui que fosse só meu, dos passarinhos gasguitos, da comodidade que sempre foi ter outras casas além da que me abrigava para explorar, de ter árvores para subir, silêncio para contemplar.

Ontem no aterro do flamengo eu olhava para a cidade linda onde vivo e para todas aquelas pessoas aproveitando o final de tarde em comunhão com o espaço, simplesmente porque pertencem a ele, uns de bicicleta, outros a pé, uns com crianças, cachorros, muitos correndo, caminhando, o pão de açúcar tão lindo, imponente e senti vontade de chorar. Não sou daqui. Não sou mais de nenhum lugar e só agora entendi que estou em toda parte.

Ando tão tão tão assim, embevecida. Não é linda esta palavra? As pessoas estão morrendo adoidado por aí e enquanto sofremos e nos chocamos com a violência, seja humana, seja do planeta, vemos também uma nova gente dedicada a se despedir da caretice de forma real, revolucionando além do curralzinho digital, fazendo na vida a coisa acontecer, sem querer ou esperar que apertem botão de curtir. Gente sem medo de existir.

Tem algo no ar que eu não sei dizer, algo novo, algo que também afeta aqui, o meu útero. Eu gosto de tsunamis e de terremotos e fico tentando fortalecer a compreensão que um dia será alguém pertinho de mim, a desaparecer. Porque é assim que tem que ser, não tem espaço para todos nós. Não tem ar, não tem água. Não tem ilusão que chegue.

Às vezes eu me perco, no trajeto de casa, em tristeza, testando já como seria se você fosse embora, baby. Gosto de substituir o medo de te perder por uma certa raivinha das pequenas coisas que eu já aceito tão bem, só para o universo não achar que a gente culminou no máximo do nosso amor. Quero enganar deus. Quero nunca ficar tão plena de comunhão e conforto só para ter sempre mais um dia para estar ao seu lado.

Está todo mundo reclamando do calor, mas não eu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s