sms

A escova de dente azul, deitada na pia cinza, não me diz nada.
As duas cores paradas, lado a lado ali, nuas,
e eu pensando no que pode ter acontecido no verão passado.
Sonhei com dias na praia e cabelos ressecados,
em ter a pele manchada de tanto sol
e a barriga dilatada de cerveja.
Meus olhos cegos da claridade que batia na água, refletia algo perto da felicidade.
Deve ter sido mesmo um sonho, eu realmente não lembro.
A água não para de pingar e as cerdas estão gastas, da escova azul.
Lá fora alguém grita meu nome e, por teimosia, decido não atender.
Parece que o mundo está acabando mas, não sinto nada, nem medo, nem nada.
Continuam me chamando, agora vem de todos os lados.
Vem de dentro também. Cuspo o chamado na pia cinza.
Vejo sumir pelo ralo essa urgência de tudo. Não tem nada meu.
Já me disseram e eu acredito;
o mundo é breve e a vida é grande.